Vivienne Westwood e família criticam documentário que retrata a trajetória de estilista

No início do ano, Vivienne Westwood criticou publicamente o documentário Punk, Icon, Activist, que traça um perfil de sua vida e obra.

Após ser lançado no festival de Sundance e atualmente em exibição nos cinemas londrinos, a obra ganhou ainda mais críticos: desta vez Ben Westwood, filho da estilista. Seguindo os comentários já feitos pela própria Vivienne, Ben afirma que a obra foge da história real de sua mãe e da proposta de mostrar seu ativismo político, além de não aproveitar o material colhido, e sim vídeos da internet.

Crítica divulgada por Vivienne Westwood em janeiro deste ano

A família não está nada feliz com o resultado de longos períodos à disposição da diretora Lorna Tucker: “O que ela ficou fazendo durante esses três anos de acesso que demos?”, questiona Ben. “Ela escolheu focar no que não era importante, ela escolheu fugir da verdadeira história. Além de não dar espaço para o ativismo ambiental de Vivienne, a moda dela não é retratada de maneira adequada. Nestes anos, Vivienne fez um trabalho extraordinário na indústria que simplesmente não aparece lá”, dispara.

Na defensiva, Lorna, que estreia seu segundo documentário, nega as afirmações da dupla: “Tenho profundo respeito ao ativismo de Vivienne, que aparece no filme como a força por trás de tudo que faz”, explica. “Continuo extremamente orgulhosa da obra e emocionada com as reações do público ao redor do mundo”, completa.

Apesar de não estarem claros os interesses por trás da obra nem sequer seu destino, os fashionistas que estiverem na Inglaterra podem assistir ao documentário nos cinemas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *